a China e o Covid-19

A China onde o vírus originou, não está inclinada para falar sobre as responsabilidades de reter informação ou de estar a impedir investigações independentes à origem do vírus.

Mas esta crise, independentemente de onde originou, vem beneficiar a ditadura do governo popular da china que tenta desresponsabilizar se da sua culpa.

Enquanto isso, o “vírus” circula pelo mundo e faz os governos apertam o garrote às liberdades e à economia das suas populações, tal como a gripe e a varíola foram um dos grandes factores de sucesso do colonialismo europeu, o coronavírus assume-se assim para o Novo Imperialismo Chinês (Chinelismo).

A China esteve “muito bem” na resposta ao vírus, ou assim disseram os seus cidadãos à televisão do estado, um “governo” ditatorial conta com a facilidade que tem de impor qualquer tipo de medida, desde construir hospitais em apenas uma semana, impor confinamento obrigatório a milhões de pessoas, silenciar jornalistas e impôr a narrativa.

Este momento crítico na história da humanidade é apenas uma crise para alguns, enquanto os paises da europa panicam sobre o que fazer, a China não desperdiça a oportunidade.

ajuda humanitária?

Através de uma série de medidas de ajuda humanitária, tentam contrariar  má imagem que fica depois de estarem na origem do vírus.

Mas, em que se baseia esta ajuda?

Na europa por exemplo o governo chinês apressou-se a fazer acordos com vários países, mas esta ajuda não foi grátis e nem efectiva. Espanha adquiriu milhares de testes só para descobrir que tinha uma taxa de eficácia na ronda dos 30%, os portugueses apenas receberam a ajuda que deveria ter chegado antes do final de março quando a quarentena já estava a acabar e os ventiladores nunca foram precisos.

Como se não fosse suficiente a absurdidade da compra desenfreada de material que não estava faltando ao serviço do SNS e ao salvamento de vidas do COVID, o INFARMED bloqueou e continua a bloquear a certificação de kits de testagem e ventiladores made in Portugal segundo os critérios existentes e já com certificação CE, invocando critérios imaginários e impossíveis de cumprir. Enquanto que todo o material vindo da china que continua insistentemente a dar problemas, o INFARMED já deu o seu aval garantindo que segundo o que conseguem entender das instruções que veem em mandarim, está tudo perfeito.

Obviamente há que realçar que esta ajuda é estrategicamente distribuída pelos países que têm vindo a mostrar o seu apoio às iniciativas chinesas. 

ajudar-se a si própria

Mas não nos fiquemos pela europa, em África o governo chinês depressa estendeu os seus milhões para auxiliar os países durante a pandemia, se poderem dar algum colateral para as dívidas como por exemplo na Zâmbia onde foi pedido que as minas de cobre passassem para mãos chinesas.

 

Mas a estratégia do governo de Xi jinping não se saciou por tão pouco. Aproveitando a oportunidade, em Hong Kong foram detidos pela polícia  vários ativistas pró democracia por estarem a incitar o debate, atrasando a imposição de leis. 

No mar da china aumenta a pressão sobre Taiwan com paradas militares e declamar autoridade sobre território rico em gás natural.

A China ri-se e faz memes

Entra aqui mais uma arma poderosa dos dias de hoje, onde a China não é nenhuma amadora: a desinformação.

Tal como diria o maior assassino de sempre Mao Tse Tsung, se visse os dias de hoje:
“Não existe informação apenas pelo objectivo de informar, ou informação que se descole das classes ricas,ou que seja independente da política”

Divulgando várias notícias que o vírus tinha começado na américa ou em Itália apesar de ser um facto estabelecido que o vírus começou em Wuhan.

Até mesmo o cromo do Trump é apenas mais uma peça no jogo de xadrez, enquanto o subsidiamento americano de mais de 500M à OMS é suspenso, a China depressa aproveita a oportunidade e investe mais 30 milhões na organização, passando assim a imagem de como estão preocupados com a resolução do problema sanitário internacional, mesmo apesar de não permitirem que entrem no país equipas de investigação da OMS ou jornalistas.

Fazem uma cópia barata de uns legos, num vídeo onde dizem que avisaram rapidamente o ocidente dos riscos e medidas a tomar, enquanto gozam com a atitude do trump em relação ao vírus. A nível de content marketing, estão fortíssimos.

e assumir as responsabilidades?

Enquanto alguns governos como a Austrália e a América tentam forçar que sejam feitas investigações às culpas do vírus e especialmente se o governo chinês realmente impediu que a informação saísse do país, custando assim a vida a muitas pessoas.

A China responde a estas ameaças com força e sem piedade, dizendo que se esses países têm dúvidas sobre a actuação do governo chinês, a China também vai começar a ficar com dúvidas sobre as relações comerciais com eles.

O Governo do partido Comunista Chinês há muito que declamou a sua intenção em ser o maior poder mundial e esta pandemia apenas serviu para acelerar o processo, entretanto as responsabilidades pelo vírus ou pelo aproveitamento das fragilidades criadas ficam por ser julgadas.

Se chegaste até aqui

 

 

Este artigo é parte de uma série que estamos a trabalhar sobre o mundo pós covid.

Se quiseres colaborar envia-nos os teus textos, áudio, vídeo, ou links, para [email protected] ou passa pelo discord 

ao Microscópio

a nossa análise, dia após dia,

as atualidades e o que quase ficou por dizer

estamos nas redes anti-sociais

Nas "redes-sociais" partilhamos artigos de outras redações, opiniões a quente, alguns mémés, e mastigamos trolls ao pequeno-almoço.

cada vez mais ativxs

junta-te á conversa no discord, por texto ou por voz. partilha as tuas ideia, e preocupações e vamos descobrir formas de colaborar. clica na imagem em baixo e começa a viagem.