Acompanha nas redes anti-sociais

Os acéfalos e os fantoches

Dois grupos de risco para a humanidade

Tipo de artigo: não factual,  RANT

A língua portuguesa é incrível,

Há quem diga que as palavras podem ser uma arma, e podem ser utilizadas para o bem e para o mal.

Somos bombardeados no dia a dia com palavras e imagens escritos por agências de comunicação, estas têm apenas um diretor criativo que ganha milhares de euros mês, e estagiários que têm de recorrer a créditos e dinheiro de familiares com a ambição de um dia serem eles os diretores criativos.

Na televisão, somos bombardeados por palavras conjugadas para nos assustar e para nos prender ao ecrã, para sermos subservientes às grandes empresas, é assim que as televisões fazem dinheiro. Com telenovelas que jogam com os medos e inseguranças das pessoas e prometem passar uma mensagem que não é só vazia e desprovida de conteúdo, é destruidora de neuronios.

Vivemos numa sociedade cada vez mais polarizada em que cada um vive dentro da sua bolha, incapaz de ver os seus próprios limites e de aceitar ideias diferentes da sua, existem diferentes tipos de personagem.

Assim, convém nesta redação utilizarmos bem a língua portuguesa ao descrever os comportamentos que observamos. Estamos sempre a tentar melhorar e críticos de nós próprios.

Neste artigo vamos definir dois tipos de personagens que estão a impedir o avanço da humanidade, o seu próprio avanço, e o das gerações futuras.

OS ACÉFALOS

Os acéfalos que aqui definimos têm cabeça,
Embora as vezes não pareça,

Os acéfalos que aqui definimos têm um chefe, ou vários, muitos podem não ter consciência disso e dizem a boca cheia que são livres de pensar.

Os acéfalos que aqui descrevemos não têm falta de inteligência, mas recusam-se a pensar.

A inteligência é uma faculdade do ser humano que pode ser desenvolvida, mas os fantoches, que se sentam nas grandes redações jornalísticas e na assembleia trabalham sem parar para encher os seus bolsos e garantir que os acéfalos continuam acéfalos.

Os acéfalos podem ser encontrados por exemplo nas redes sociais a partilhar mensagens com a hashtag #ficaemcasa

A sério?
OH ACÉFALO !
TÁ TUDO FECHADO !
Queres que eu vá para a rua fazer o quê?
E quem não tem casa acéfalo? Faz o quê?
E quem não tiver facebook ou instagram para ler a tua mensagem? Faz o quê?

Achas que tou irritado por seres acéfalo?
Claro que estou. Mas a culpa de seres acéfalo nem é tua… fazem-me mais comichão os fantoches…

Os acéfalos que partilham a hashtag #ficaemcasa, nunca fizeram nada por ninguém, só se importam com o seu umbigo, e têm o cu cheio de gelados e os neuronios cheios de Netflix.

Os acéfalos que partilham a hashtag #ficaemcasa só estão a tentar dissimular a sua hipocrisia, fingindo que se preocupam com os outros.

Os acéfalos diferem dos fantoches no sentido em que ocupam um pequeno (e ao mesmo tempo enorme) papel na propagação e disseminação de um sistema de classes validando os fantoches.

Os acéfalos aceitam o que lhes é posto á frente sem questionar, porque lhes é vantajoso.

OS FANTOCHES

Os fantoches dos quais falamos aqui não são autômatos mas parecem, são uns verdadeiros bonequinhos movidos por cordéis, movidos pela ganância e hipocrisia, são narcisistas psicopatas do pior calibre.

Os fantoches sentam-se nas assembleias gerais de acionistas das grandes empresas, na assembleia da república, nas redações dos jornais.

Os fantoches usam a sua falta de empatia para avançar uma agenda que tem como objetivo criar lucros para os seus bolsos, para as suas empresas, as empresas dos seus amigos.

Os fantoches dormem poucas horas, passam o dia e a noite em devaneios psicóticos de como foder ainda mais o zé povinho.

Os fantoches vestem fatos para disfarçar a besta dentro deles, e usam palavras, e a sua voz para disseminar uma mensagem vazia.

Conclusões superficiais sobre os acéfalos e os fantoches

Enquanto os fantoches destroem o mundo, os acéfalos batem palmas.

Enquanto houver um número grande de acéfalos e fantoches, a humanidade está condenada à destruição.

O capitalismo promove a existência de poucos fantoches e muitos acéfalos.

Precisamos urgentemente que os acéfalos usem os seus neurónios adormecidos,

Precisamos urgentemente que os fantoches se libertem dos seus cordelinhos, senhor bill gates, que tal uma vacina para a ganância?

Se te sentes incomodado por te servir a carapuça e estás dentro de um destes dois grupos tens uma escolha a fazer.

Estamos à tua espera do outro lado.

tá sempre a rir o gajo, corre-lhe bem a vida

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

estamos nas redes anti-sociais

Nas "redes-sociais" partilhamos artigos de outras redações, opiniões a quente, alguns mémés, e mastigamos trolls ao pequeno-almoço.

cada vez mais ativxs

junta-te á conversa no discord, por texto ou por voz. partilha as tuas ideia, e preocupações e vamos descobrir formas de colaborar. clica na imagem em baixo e começa a viagem.